SAAE e Univasf levam educação ambiental aos moradores do Residencial Mairi

SAAE e Univasf levam educação ambiental aos moradores do Residencial Mairi

Aprendendo com as brincadeiras. Foi assim que o Setor Social do Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE/Juazeiro), alunos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) -  que integram o Programa Escola Verde, e articuladores da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade decidiram ensinar noções de educação ambiental aos moradores do Residencial Mairi, principalmente às crianças.

O grupo da Univasf montou um teatro de fantoche que, com muita alegria, humor e conhecimento mostrou para os moradores como fazer a reciclagem e dar destino final ao lixo produzido no dia a dia.  O palhaço Ventola animou a garotada e também falou sério na hora de pedir às crianças que não ficassem subindo nos caminhões do lixo na hora da coleta, para evitar acidentes.

A Conselheira Tutelar Iguaraciara Maria, que também participou da ação, lembrou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)  que no seu Art. 4º define como dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público, assegurar com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, porém alertou ela, que é de inteira responsabilidade dos pais cuidar da segurança dos seus filhos. “Não adianta chegarmos aqui com teatro, brincadeiras e informações  se os pais não inibirem seus filhos de praticar certos atos com que coloque em risco a própria vida", pontuou.

A assistente social do SAAE, Marineide Alves de Macedo, destacou que Juazeiro nunca viu um trabalho como esse, que leva até as escolas, associações de moradores e diversas comunidades além da educação ambiental, noções de cidadania e cursos sobre a fabricação de produtos de limpeza. “A parceria com os estudantes e professores da Univasf só vem fortalecer esse trabalho tão importante, especialmente com as crianças que acabam se transformando em agentes multiplicadores levando até os demais familiares as informações necessárias sobre como cuidar mais do meio ambiente”, reforçou.

A dona de casa Francisca Maria da Silva aprovou a iniciativa e agradeceu por seu bairro ser beneficiado com a coleta do lixo. "Antes o lixo era jogado nas ruas e nas casinhas e ficava lá amontoado por vários dias. Agora o caminhão passa três vezes por semana e melhorou muito, cabe a todos agora fazerem a sua parte e não mais jogar o lixo nas ruas", disse a moradora.

O gestor técnico do SAAE, Jadson Pereira, informou que a meta é levar essas informações a todas às comunidades para que os serviços de limpeza e coleta do lixo seja cada vez mais eficiente. “Sabemos que não se muda nada do dia para a noite, mas acreditamos nesse trabalho educativo e, agora mais fortalecido com a participação da Univasf e a colaboração de todos, atingiremos os nossos objetivos”, concluiu.

 

Serviços