Diretor do SAAE visita obras do Programa Água Doce no interior de Juazeiro

Diretor do SAAE visita obras do Programa Água Doce no interior de Juazeiro

Possibilitar ao homem do campo condições para que ele continue vivendo nas suas terras é o objetivo do Programa Água Doce, com a implantação de sistemas produtivos sustentáveis, e água de qualidade para o consumo humano. Executado pelo Governo do Estado, através da Companhia de Engenharia Ambiental e de Recursos Hídricos da Bahia (CERB), com a operacionalização da Prefeitura de Juazeiro via SAAE, o programa ofertará água potável, além da criação de peixes nos tanques de rejeitos.

Neste 6 de abril, o diretor do SAAE, Joaquim Neto, visitou as obras nas localidades de Rodeador e Sítio Monte Alegre, região de Itamotinga. Bastante avançadas, às obras estão compostas de três reservatórios, painel elétrico, dessalinizador e tanque de contenção, possibilitando ainda a irrigação de pequenas plantações. 

De acordo com Joaquim Neto, 15 sistemas serão implantados no interior do município que, somando-se aos poços tubulares já perfurados em diversas localidades e as adutoras construídas, darão mais autonomia ao homem do campo.  “Fico muito satisfeito quando chego ao interior e percebo as transformações ocorridas nos últimos anos, fruto das ações que o governo municipal tem realizado em diversas áreas. Conhecemos as dificuldades do interior e sabemos que muito ainda tem a ser feito, mas o que já fizemos melhorou bastante a qualidade de vida desse povo. Esse programa vem fortalecer a nossa meta de levar água a todas as comunidades. possibilitando essa autonomia”, explica Joaquim

Para Maria Cristina Rodrigues, presidente da Associação de Moradores Senhora de Santana, no Sítio Monte Alegre, o povo do interior vivia esquecido, mas hoje a realidade é outra. “Muitos só apareciam aqui de quatro em quatro anos, agora temos a presença constante desse governo, principalmente do pessoal do SAAE, que sempre atende as nossas solicitações. Temos hoje água, energia e somos mais valorizados. Sabemos que o governo não pode fazer tudo de uma vez, mas muito já foi feito por nós do interior”, reconhece Cristina.

Joaquim Neto visitou ainda as comunidades de Lagoa dos Cavalos e Cacimba dos Silvas, onde conheceu a criação de galinhas do produtor Marcio Iran Passos, presidente da Cooperativa de Produtores Rurais e vice presidente da Associação de Moradores da localidade. Márcio revelou que deixou a criação de caprinos de lado para se dedicar a produção de galinhas. Em dois galpões ele cria cerca de 1.800 aves das raças Isa Brown e pesadão, oriundas da França. Márcio garante que, apesar do alto custo da ração e dos medicamentos a criação de galinha é viável e uma boa alternativa para o homem do campo.

Serviços